quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O que a Bíblia ensina sobre “maldições hereditárias”?





O que a Bíblia ensina sobre “maldições hereditárias”?

Original: ¿Qué enseña la Biblia sobre “maldiciones generacionales”?

Por Juan Stam

Tradução: Eric Brito Cunha


Uma das muitas novidades teológicas da nossa época é a doutrina das “maldições hereditárias”, que ensina que uma pessoa pode nascer sob uma sentença de castigo (“maldição”) por pecados cometidos por seus antepassados. Freqüentemente essa maldição é entendida em sentido mágico, como um malefício - uma espécie de feitiçaria santa. Assim, pode-se nascer carregando a maldição de seus pais, avós ou mesmo bisavós. E como a humanidade é pecadora, supõe-se que muito poucas pessoas nascem sem uma maldição sobre suas costas.
Entre aqueles que têm pregado essa doutrina de uma forma muito elaborada, estão os pregadores Edwin e Ana Lucía Orozco do programa “DiosTV”. Eles alegam que a maldição está no espermatozóide e no óvulo que formam o feto. Então o DNA do pecado substitui o DNA de Deus. Outro aspecto desse ensino é o conceito da iniqüidade com a corrupção interna que traz maldição hereditária. Nas palavras deles,

A iniqüidade é transmitida aos seres humanos desde a concepção e se torna mais forte. Em cada geração, é reforçada de maldição. Mas os pais têm o poder de estabelecer uma herança de benção para os filhos, cortando estas raízes de iniqüidade.
    Devemos entender que estamos marcando uma geração futura a partir de hoje ao rompermos estes ciclos de iniqüidade, porque enquanto essas raízes estiverem ativas em nós afetará nossa vida e a vida de nossas futuras gerações.
Deus é um Deus de gerações e as iniqüidades de nossos ancestrais nos seguirão até que as cortemos; estas raízes constituem o elemento oculto em nosso ser, em nossas emoções mais íntimas e do apego que possamos ter com a realidade a qual estamos atados. Cortando essas iniqüidades, damos a nossos filhos um futuro livre, um caminho aplanado, um destino profético que Deus nos tem dado, e lhes daremos as chaves para que sempre triunfem enquanto não ativarem essas raízes.
   
É óbvio que o aspecto “hereditário” de todo este ensino se baseia no segundo mandamento do decálogo e alguns textos de Êxodo e de Deuteronômio:

“Eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem. E faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos[i]”.    
Êxodo 20:5-6 (cf. Deut 5:9)

“... SENHOR Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado... Que visita a iniqüidade dos pais nos filhos e nos filhos dos filhos, até à terceira e quarta geração![ii]
(Ex 34:6-7)


“O SENHOR, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e cumprem os seus mandamentos[iii]
(Deut 7:9)


Embora o idioma hebraico tenha várias palavras para “maldição”, esses textos não mencionam nenhuma delas. É apenas dito que Deus “visita” os pecados sobre as sucessivas gerações. O sentido principal deste verbo hebraico é igual a “visitar” em português[1]. Seu sentido básico é “preocupar-se por”; A NVI[2] o traduz bem com “estar pendente de” (Sal 8:4 “tomá-lo em conta[3]”; cf Jó 7:17[4]). Deus visita a terra e a rega (Sal 65:9). Muitas vezes este mesmo verbo hebraico significa visitar para salvar (Ex 3:16; 4:31; o relato do êxodo! Gen 50:24-25; Rut 1:6), mas em outros texto, como os que acabamos de citar, significa visitar para castigar (Isa 13:11; Jer 5:9,29).
Ademais, os textos básicos, em Ex 5 e Deut 20, não falam de “iniqüidade” mas de “maldade”; e Ex 34:7, que menciona a iniqüidade, a rebelião e o pecado (como sinônimos funcionais), não afirma que Deus os converte em maldições hereditárias mas que, em sua misericórdia, os perdoa. Como é, então, que Deus visita a iniqüidade até a terceira e quarta geração, se as tem perdoado? A resposta está no conceito bíblico da pessoa humana como ser social, em uma solidariedade corporativa. A Bíblia não conhece o individualismo de nosso pensamento moderno, de pessoas como entes em si, independentes da comunidade a que pertencem. Então, a maldade tem conseqüência morais e sociais sobre a família e a sociedade, e nessas conseqüências Deus está “visitando” ao seu povo.
É claro que estas passagens não dizem absolutamente nada que poderia significar “maldições hereditárias”. Não fala de maldições em nenhuma parte, mas do amor e da justiça de Deus com que se preocupa conosco (“nos visita”). Muito menos indica algo como um DNA programado com maldições de antepassados. Especulações desse tipo revelam uma grave falta de respeito ao texto inspirado.
É óbvio que estas passagens não destacam a maldição dos maus, mas a primazia da misericórdia de Deus. Se as conseqüências do pecado se estendem às quatro gerações, o amor e a misericórdia de Deus alcançam até mil gerações. É possível que “quatro gerações”, seja mais que uma frase literal de uma maldição matemática, é uma expressão idiomática para expressar as conseqüências do pecado sobre a família e a sociedade. De qualquer forma, “onde abundou o pecado [quatro gerações], a graça superabundou [mil gerações]”. Se existem “maldições hereditárias”, tem que haver também “bênçãos hereditárias”, e são acumuladas sobre mil gerações. O teórico DNA desta teoria teria que codificar centenas de pecados e milhares de bênçãos, e certamente o saldo seria favorável à benção e às misericórdias de Deus.
Para concluir, devemos mencionar que outros textos bíblicos refutam a idéia de um castigo divino contra familiares inocentes. O mesmo livro de Deuteronômio afirma que “os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos pelos pais; cada um morrerá por seu pecado” (Dt 24:16; cf. 2R 14:6). O profeta Ezequiel se opõe energicamente a esta doutrina de castigos e méritos herdados e insiste na responsabilidade pessoal de cada um:

Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Que tendes vós, vós que, acerca da terra de Israel, proferis este provérbio, dizendo: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram?
Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, jamais direis este provérbio em Israel.
Que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá.
Sendo, pois, o homem justo e fazendo juízo e justiça ... andando nos meus estatutos, guardando os meus juízos e procedendo retamente, o tal justo, certamente, viverá, diz o SENHOR Deus.
...
O que andar nos meus estatutos, o tal não morrerá pela iniqüidade de seu pai; certamente, viverá.
...
Mas dizeis: Por que não leva o filho a iniqüidade do pai? Porque o filho fez o que era reto e justo, e guardou todos os meus estatutos, e os praticou, por isso, certamente, viverá.
A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai, a iniqüidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este.
              (Ez 18:1-20)


Em conclusão: longe se ser, fielmente, fundamentada na Palavra de Deus, o ensino das “maldições hereditárias” é um abuso do texto bíblico. É outra especulação fantasiosa de alguns pregadores que não se cansam de inventar novas doutrinas para deslumbrar o seu público e mantê-los cativos de suas aberrações. Longe de ser uma mensagem fiel a Palavra, é mais uma tentativa de manipular, e manipular o público crente.
Todas estas especulações contemporâneas colocam uma pergunta muito séria: em que ponto um simples ensino equivocado torna-se uma heresia? Será que teremos que redescobrir o conceito e a realidade da heresia?
É a hora de levantar a voz de protesto contra essas novidades anti-bíblicas.



[1] [Notas do Tradutor]: No original: castelhano
[2] [Notas do Tradutor]: O autor se refere a NVI em seu idioma- castelhano, a edição portuguesa não trás essa expressão, mas “castigar”.
[3] [Notas do Tradutor]: Sal 8:4 Que é o homem, para que com ele te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes?

[4] [Notas do Tradutor]: Jó 7:17 Que é o homem, para que lhe dês importância e atenção?




[i] …yo soy Jehová tu Dios, fuerte, celoso, que visito la maldad de los padres sobre los hijos hasta la tercera y cuarta generación de los que me aborrecen, y hago misericordia a millares [de generaciones], a los que me aman y guardan mis mandamientos.

[ii] Jehová! fuerte, misericordioso y piadoso; tardo para la ira, y grande en misericordia y verdad; que guarda misericordia a millares, que perdona la iniquidad, la rebelión y el pecado… que visita la iniquidad de los padres sobre los hijos y sobre los hijos de los hijos hasta la tercera y la cuarta generación.

[iii] Jehová tu Dios es Dios, Dios fiel, que guarda el pacto y la misericordia a los que le aman y guardan sus mandamientos, hasta mil generaciones; y que da el pago en persona al que le aborrece, destruyéndolo.

5 comentários:

  1. Deus nos criou para o mesmo destino...uns chegarão primeiros e os outros depois.Cada um medido por sua obra.

    ResponderExcluir
  2. O assunto parece ser mais complexo do que se imagina, pois há exemplo bíblicos de que as consequências vieram da parte de Deus, como castigos pela desobediência:
    Is 14:21 – “Preparai a matança para os filhos, por causa da maldade de seus pais, para que não se levantem, e possuam a terra, e encham o mundo de cidades”.

    Jr 16: 10-11 – “E será que, quando anunciares a este povo todas estas palavras, e eles te disserem: Por que pronuncia o SENHOR sobre nós todo este grande mal, e qual é a nossa iniqüidade, e qual é o nosso pecado, que pecamos contra o SENHOR, nosso Deus? Então, lhes dirás: Porquanto vossos pais me deixaram, diz o SENHOR, e se foram após deuses alheios, e os serviram, e se inclinaram diante deles, e a mim me deixaram, e a minha lei não guardaram,”

    Jr 29:32 – “Portanto, assim diz o SENHOR: Eis que visitarei a Semaías, o neelamita, e a sua descendência; ele não terá ninguém que habite entre este povo e não verá o bem que hei de fazer ao meu povo, diz o SENHOR, porquanto falou em rebelião contra o SENHOR”.

    Jr 32:18 – “Tu usas de benignidade com milhares e tornas a maldade dos pais ao seio dos filhos depois deles; tu és o grande e poderoso Deus cujo nome é SENHOR dos Exércitos,”

    Dt 28:18 – “Maldito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e a criação das tuas vacas, e os rebanhos das tuas ovelhas”.

    II Sm 12:14 – “Todavia, porquanto com este feito deste lugar sobremaneira a que os inimigos do SENHOR blasfemem, também o filho que te nasceu certamente morrerá”.

    II Sm 21:6-9 – “de seus filhos se nos dêem sete homens, para que os enforquemos ao SENHOR, em Gibeá de Saul, o eleito do SENHOR. E disse o rei: Eu os darei. Porém o rei poupou a Mefibosete, filho de Jônatas, filho de Saul, por causa do juramento do SENHOR, que entre eles houvera, entre Davi e Jônatas, filho de Saul. Porém tomou o rei os dois filhos de Rispa, filha de Aiá, que tinha tido de Saul, a saber, a Armoni e a Mefibosete, como também os cinco filhos da irmã de Mical, filha de Saul, que tivera de Adriel, filho de Barzilai, meolatita. E os entregou na mão dos gibeonitas, os quais os enforcaram no monte, perante o SENHOR; e caíram estes sete juntamente; e foram mortos nos dias da sega, nos dias primeiros, no princípio da sega das cevadas”.

    I Rs 2: 33 – “Assim, recairá o sangue destes sobre a cabeça de Joabe e sobre a cabeça da sua semente para sempre; mas a Davi, e à sua semente, e à sua casa, e ao seu trono dará o SENHOR paz para todo o sempre”.

    I Rs 11:11-12 – “Pelo que disse o SENHOR a Salomão: Visto que houve isso em ti, que não guardaste o meu concerto e os meus estatutos que te mandei, certamente, rasgarei de ti este reino e o darei a teu servo. Todavia, nos teus dias não o farei, por amor de Davi, teu pai; da mão de teu filho o rasgarei;”

    I Rs 21:29 – “Não viste que Acabe se humilha perante mim? Porquanto, pois, se humilha perante mim, não trarei este mal nos seus dias, mas nos dias de seu filho trarei este mal sobre a sua casa”.

    II Rs 5:27 – “Portanto, a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua semente para sempre. Então, saiu de diante dele leproso, branco como a neve”.

    (continua...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz.
      Ao fazermos toda e qualquer referência a VERSÍCULOS bíblicos, devemos nos ater ao capítulo inteiro, quando não voltarmos aos capítulos anteriores e também aos posteriores para entendermos o contexto. A palavra de Deus não se contradiz e se explica por si só.
      Deus abençoe.

      Excluir
  3. (continuação...)


    Posso estar errado no que vou dizer, mas os versículos acima parecem não tratar somente de consequências de pecado, mas de castigo divino às gerações seguintes, por causa da desobediência dos pais.
    Agora, o que me tranquiliza é que cada qual será julgado, naquele grande Dia, pelas suas próprias ações e como reagiram diante das consequências dos pecados de seus pais, uma vez que cada um é livre pra manifestar os sentimentos de seus próprios corações.
    Há os que se rebelam contra Deus, diante das consequências dos pecados de seus pais, e há os que se humilham, como Isaías, Jeremias, Daniel e outros, os quais, mesmo sofrendo as consequências (maldições divinas pela desobediência do povo, já pregadas, por exemplo, em Deuteronômio 28:18, 32,41,53, 54, 56, 64) ainda assim conseguem tocar no coração de Deus e obter dele perdão e trazer benção aos seus.
    A Bíblia diz que todos nascemos pecadores e todos haveremos de comparecer diante do Tribunal de Deus para respondermos cada um segundo as nossas obras, incluindo as crianças, ainda que não tenham feito nem bem e nem mal.(Ap 20:12).
    Não podemos nos esquecer que as crianças de pais ímpios, ao morrerem como crianças, foram mais bem aventuradas do que seus pais, pois a quem muito é dado muito será cobrado. De sorte que o juízo delas será repleto de misericórdia, diferentemente de seus pais.
    Nisso talvez esteja o segredo desses versos, pois o que importa não são as bençãos ou maldições desta vida passageira, mas como cada qual reagiu diante delas e dos acontecimentos permitidos por Deus em sua vida.
    Finalizando, gostaria de dizer que longos anos não significam benção de Deus e poucos dias, nesta terra, também não representam maldição, pois Abel viveu poucos anos nesta terra e terminou seus breves dias com a designação de “justo” (Hb 11:4). Caim, por sua vez, viveu longos anos e terminou seus dias com o título “era do maligno” (1 Jo 3:12).
    Isso nos comprova tudo que foi dito anteriormente, incluindo aqueles que creram em Cristo, pois de quanto maior castigo é merecedor aquele que pisar no sangue do concerto e fizer agravo ao Espírito da graça (Hb 10:28-31 e Hb 6:4-6)? E isso não trará consequências para os filhos?
    Deus vos abençoe!!!

    ResponderExcluir
  4. EU CREIO QUE ANTES DE NASCER DINOVO, EU LEVAVA SOBRE MIM AS MALDIÇÕES, A PARTIR DO CONFESSAR COM A MINHA BOCA A RESPEITO DA SALVAÇÃO EM JESUS CRISTO O FILHO DE DEUS, CONFESSO E ASSUMO TODOS OS MEUS PECADOS, PEÇO O PERDÃO E A MISERICÓRDIA E DE DEUS , E ATRAVÉS DO SACRIFÍCIO DE JESUS NAQUELA CRUZ POR MIM , ELE LEVOU SOBRE SI TODAS AS MINHAS MALDIÇÕES, E ATRAVÉS DESSE ATO DE AMOR, HOJE SOU LIVRE DAS MALDIÇÕES, ATRAVÉS DAQUELE SANGUE NA CRUZ , O MEU NOME FOI ESCRITO NO LIVRO DA VIDA , E AGORA AS COISAS VELHAS SE PASSARÃO E EIS QUE TUDO ELE SE FEZ NOVO NA MINHA VIDA , SOU NOVA CRIATURA , SOU FILHA DO REI JESUS , E A PARTIR DESSA JUSTIFICAÇÃO QUE É ATRAVÉS DA MINHA CONVERSÃO, E OBEDIÊNCIA, PORQUE O ESPÍRITO SANTO VEIO E ARRANCOU O MEU CORAÇÃO DE PEDRA E COLOCOU UM CORAÇÃO DE CARNE. AGORA COMEÇA A CAMINHADA COM CRISTO JESUS, E O PROCESSO DA SANTIFICAÇÃO, O ESPÍRITO SANTO MUDANDO TODA A MINHA VIDA , CARÁTER, ATITUDES, ETC. O QUE É DE DEUS , O DIABO NÃO PODE TOCAR , TODA OBRA DE MALDICAO E BRUXARIA,DE MALDIÇÕES VINDO DA MINHA VELHA NATUREZA, FOI MORTA ENTERRADA, AGORA NÃO MAIS VIVO EU , MAIS CRISTO VIVE EM MIM . EU CREIO NO SANGUE DE JESUS CRISTO NAQUELA CRUZ . E TODO AQUELE QUE OBEDECE E AMA A SUA PALAVRA , AS BÊNÇÃOS O SEGUIRÃO. EM NOME DE JESUS CRISTO, GLÓRIA A DEUS.

    ResponderExcluir