quinta-feira, 14 de junho de 2012

ESTÁ ESCRITO: LUZ de luz






Estou, num período de mais ou menos duas semanas, sempre quando posso, meditando sobre a Tentação de Jesus.

E o coração do que venho meditando é a lógica - tão nossa! - de uma das tentações. O diabo argumenta: Faça isso PORQUE ESTÁ ESCRITO.

E ele não inventa: de fato, ESCRITO ESTAVA. É parte do Salmo 91. E o detalhe é que, até onde eu vejo, o diabo cita o texto sem fazer questão de adulterá-lo. As diferenças são mínimas - a ideia permanece. Antes, o diabo parece querer o contrário: reproduzir a idéia do texto com fidelidade - era essa a força do argumento. 

Ele diz: 

Se és Filho de Deus, atira-te para baixo,
    porque está escrito:

Ele dará ordem a seus anjos a teu respeito, e eles te tomarão pelas mãos,para que não tropeces em nenhuma pedra.

Ora, essa mesma TENTAÇÃO era o coração da tese reformada anabatista que nos permeia: NÃO ESTÁ ESCRITO, ENTÃO NÃO É VERDADE, NÃO É ÚTIL, etc.

Em suas mãos, a Bíblia, O QUE ESTAVA ESCRITO, era uma NAVALHA CONTRA a vida.

Como se a Bíblia fosse exaustiva: versasse sobre tudo.

Esse perfil de JUSTIFICAR TUDO na Bíblia é muito próximo de um outro – que se esconde por trás da Bíblia – tomando emprestado sua autoridade para legitimar suas ações.

PULEI PORQUE ESTAVA ESCRITO!

Mas PORQUE ESTAVA ESCRITO muitos se desviaram do Caminho.

E igualmente: PORQUE NÃO ESTAVA ESCRITO muitos se limitaram no Caminho.

O Robinson Cavalcanti costumava chamar essa vertente de REFORMA RADICAL. E a identificava, com infelicidade, como o fator moldador do olhar evangélico para vida.

De forma mais integrada, e contra a Reforma Radical, os Reformadores processavam assim a tradição e a cultura: A Bíblia condena? Então nós rejeitamos. Mas se a Bíblia não condena, então há espaço para analisarmos se convém ou não.

O ESTÁ ESCRITO é uma tentação. É uma TENTAÇÃO para quem carrega consigo a Bíblia.

É uma tentação porque pecamos, e nos extraviamos de Deus. Porque com relutância lhe reconhecemos o culto. Porque nosso entendimento é parcial, inclinado, distorcido.

A Bíblia, na boca do diabo, não era a Palavra de Deus.

E a tentação é que a Bíblia, na nossa boca, também não o seja.

A mensagem central da Bíblia é Jesus e o Seu Evangelho. O Evangelho é muito simples. A Bíblia, talvez não.

Pedro diz dos escritos de Paulo "há certas coisas difíceis de entender". E diz ainda que os que as deturpavam o fazia "para a própria destruição deles".

Talvez tudo isso - todo esse embaraço - seja desfeito pela doutrina sustentada pelos Reformadores: A ILUMINAÇÃO DO ESPÍRITO.

Sem ela, o simples fica encoberto. 

Tão simples e tão complicado!

Tão evidente, e tão encoberto!

Nesses dias fiquei pensando se o problema do Salmo 91 citado pelo diabo, era somente um erro de hermenêutica, em que ele omitia o contexto maior do verso citado. Isso provavelmente foi o caso. Mas seu erro não foi apenas aplicar errado.

Jesus sequer o corrige: você citou errado. Ele diz: TAMBÉM ESTÁ ESCRITO.

Prosseguimento na reflexão, eu poderia me concentrar em pensar em analogias dessa do que poderíamos chamar - hermenêutica do diabo. Isto é: pensar no erro exegético do diabo e tentar identificar esse erro nas nossas interpretações tradicionais de alguns textos. Mas há outro caminho: em acentuar nossa necessidade e dependência do Espírito Santo para compreender as verdades bíblicas.

ESTÁ ESCRITO: mas pode ainda não estar claro.

É preciso LUZ!

Calvino ensinava: “A Palavra de Deus é uma espécie de sabedoria oculta, a cuja profundidade a frágil mente humana não pode alcançar ... até que o Espírito abra os olhos ao cego”.

Tocamos um Livro Santo com mãos sujas; tentamos entender verdades eternas com uma mente finita e torta.

Ai de nós, se não fosse o Senhor!

A Verdade é que nos acha e se faz compreendida.

Eric,
14 de Junho de 2012